A Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) recebeu a visita de representantes da Guatemala, Nicarágua e República Dominicana com o objetivo de discutir a ampliação do número de estudantes desses países na Universidade e formalizar acordos de cooperação. As visitas foram realizadas em setembro.

A comitiva da República Dominicana – formada pelo embaixador Alejandro Arias Zarzuela; o vice-ministro de Cooperação Internacional, do Ministério da Economia, Planejamento e Desenvolvimento, Inocêncio Garcia Javier; e o vice-ministro de Planejamento, do Ministério da Educação, Victor Sanchez – apresentou um panorama dos desafios para o desenvolvimento do país e a necessidade de incorporar a pesquisa acadêmica a esse processo. “Se a UNILA e a Universidad de Santo Domingo pudessem trabalhar de forma integrada para nós seria muito importante. Um dos eixos que temos é necessidade da integração da academia ao tema do desenvolvimento”, explicou Inocêncio Garcia. Ele também convidou a UNILA a participar dos encontros da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), que estará sob a presidência pro tempore da República Dominicana, em 2016. Garcia explicou, ainda, que a República Dominicana trabalha na formação de um sistema de cooperação internacional, que irá permitir não só receber, como oferecer cooperação.

Em outra visita, os embaixadores da Guatemala, Julio Martini, e da Nicarágua, Lorena Martínez, discutiram com os gestores da UNILA a ampliação da participação de estudantes da América Central na Universidade. “Estamos trabalhando num processo de integração centro-americana e latino-americana e consideramos muito importante ter uma universidade de integração latino-americana em Foz do Iguaçu”, disse Lorena Martínez. Eles estavam acompanhados do chefe do escritório da Itaipu em Brasília, Zoltir Chiapetti.

Para o reitor da UNILA, Josué Modesto dos Passos Subrinho, a parceria com os países é fundamental para que a UNILA e as possibilidades que oferece sejam conhecidas pelos estudantes. Ele lembrou que está sendo planejada uma jornada na América Central com esse objetivo. “Queremos ampliar o número de países representados”, afirmou.

De acordo com a pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais, Claudia Bisaggio Soares, as embaixadas brasileiras nos diversos países vão auxiliar o procedimento de ingresso dos estudantes que queiram estudar na UNILA. “Queremos facilitar o ingresso e estamos em busca dos alicerces para também garantir a revalidação dos diplomas”, explicou. Neste aspecto, reforçou Passos Subrinho, o reconhecimento dos cursos pelo Ministério da Educação é um passo importante. “Acabamos de vencer um obstáculo importante que é o reconhecimento. Nossos cursos foram muito bem avaliados e esse é um parâmetro muito bom”, afirmou.

Além do reitor e da pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais, participaram do grupo que recebeu os representantes dos três países, o vice-reitor Nielsen de Paula Pires; o coordenador de Relações Internacionais, Luis Evelio Garcia; o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Elias de Souza Oliveira; e a pró-reitora de Extensão, Angela Maria de Souza.

Portal Medianeira

Volver