A Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) promove, na noite desta sexta-feira (25), em Palmeira dos Índios, a colação de grau da primeira turma de indígenas que conclui, em âmbito estadual, graduação superior.

O grupo, que conta com integrantes de doze etnias, foi graduado nos cursos de licenciatura em pedagogia, letras, história e ciências biológicas.

“Essa formação é um grande ganho para as comunidades indígenas, que passam a contar com professores-indígenas mais preparados e para Uneal, que atende o compromisso firmado com a sociedade. Formar professores não é um tafera fácil, mas com compromisso e muita luta, foi possível”, disse a coordenadora do Programa de Universidade Inclusiva da Uneal, Iraci Nobre.

Graduanda do curso de letras, a indígena Hilderica Silva conta que a formação é algo importante para a educação de todas as aldeias indígenas de Alagoas. “Considero a formação importante porque agora estamos bem melhor preparados para entrar em sala de aula. Principalmente porque o ensinamento em escolas indígenas exige a preparação formal e a dos costumes da nossa cultura”, expôs.

Comunidades
Os formandos indígenas são de tribos localizadas nos municípios de Joaquim Gomes, Palmeira dos Índios, Pariconha, Inhapi, Porto Real do Colégio, São Sebastião e Feira Grande.

O Programa de Apoio à Formação Superior e Licenciaturas Indígenas (Prolind/Secadi), é ofertado pela Universidade Estadual de Alagoas, em convênio com o Ministério da Educação por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi).

Globo

Volver