O reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), João Carlos Salles, afirmou, em entrevista ao Jornal da Manhã, da TV Bahia, nesta segunda-feira (19), dia em que as aulas são retomadas na instituição após cerca de 140 dias de greve de professores, que o primeiro semestre deste ano será concluído “com tranquilidade” no dia 30 de novembro.

“O que foi decidido pelo Consepe, nosso conselho superior que decide calendário acadêmico, é a reposição integral do semestre, ou seja, vamos complementar o que faltava. Com isso, é garantido o que está previsto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Situações excepcionais podem acontecer, o que vai ser acordado com algum professor que pode precisar de aula extra e reposição. O que está garantida é a conclusão do semestre com tranquilidade”, informou.

João Carlos Salles também afirma que a reitoria vai garantir as melhores condições de funcionamento na instituição, tanto para ensino, quanto para pesquisa. “Normalização significa ter calendário compatível com outros calendários da cidade, como escolas de ensino médio, isso pode demorar. Mas a vida da universidade está se normalizando sim. Teremos todas as condições para a pesquisa e extensão de qualidade”, afirma.

Salles diz que a reitoria estará mobilizada para tentar resolver eventuais problemas da universidade, na primeira semana de retorno às aulas, mas pede compreensão da comunidade acadêmica por conta do corte de verbas que atinge as universidades federais.

“Problemas de manutenção vão aparecer e vamos precisar da compreensão da comunidade. Temos o problema de financiamento do Ensino Superior, não só na Ufba. Não tem chegado o montante desejado e isso gera alguns transtornos, mas estamos mobilizados para corrigir logo inicialmente”, declarou.

O reitor também tentou tranquilizar os candidatos que irão prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no próximo final de semana e pretendem tentar uma vaga na universidade. “Serão muito bem vindos. Um dos motivos do calendário escolhido é que os novos alunos venham para a universidade, não podemos deixá-los de fora. Para os novos alunos, as aulas devem começar no final de junho, início de julho de 2016”, informou Salles.

Volta às aulas
As atividades da Universidade Federal da Bahia (Ufba) recomeçam na segunda-feira (19). Os estudantes vão retomar as aulas do primeiro semestre de 2015 após 140 dias, devido à greve dos professores, que foi encerrada na quarta-feira (14). A previsão é que o semestre acabe no dia 30 de novembro.

Conforme previsto com a reformulação do calendário acadêmico, o segundo semestre só vai ser iniciado no mês de janeiro de 2016. As aulas vão acontecer entre 11 de janeiro e 20 de maio de 2016.

A decisão foi divulgada pela Ufba na sexta-feira (16), após proposição da Superintendência de Administração Acadêmica (SUPAC) e aprovação por unanimidade do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE).

Fim da greve
Os professores da UFBA decidiram encerrar a greve em assembleia na Faculdade de Arquitetura,em Salvador. De acordo com o Sindicato dos Professores das Instituições Federais de Ensino Superior da Bahia (Apub), foram 129 votos pelo fim da greve. Dos presentes, 30 defenderam a manutenção e outros três preferiram não votar.

Os professores pediram reajuste salarial de 27%, enquanto o governo federal ofereceu 21,3% em quatro anos e, em seguida, propôs 10,8% em dois anos – sendo 5,5% em agosto de 2016 e 5% em janeiro de 2017.

Servidores
Os servidores técnico-administrativos da UFBA decidiram retomar as atividades no dia 8 de outubro, após mais de seis meses de greve. O movimento foi iniciado no dia 28 de maio. A proposta do Governo Federal que foi aceita pelos servidores da UFBA foi de reajuste de quase 11% dividido em duas etapas. A principal reivindicação era um reajuste salarial de 27,3%.

Globo

Volver