Pelo terceiro dia consecutivo, alunos da Universidade Federal de Santa Catarina  (UFSC) permanecem na reitoria da universidade em manifestação por “direitos para a comunidade acadêmica”. Conforme a equipe de segurança da universidade, não houve conflitos até a manhã desta quinta (2). Às 11h, cerca de 70 estavam mobilizados, segundo os manifestantes.

Os alunos ocupam o local desde a terça-feira (30). Uma reunião com a reitoria da UFSC prevista para a tarde de quarta-feira (1) foi cancelada. Em documento, a administração da universidade informou que enquanto prédio estiver fechado, é inviável a realização de uma audiência. Alunos e técnicos em greve realizaram uma reunião às 22h de quarta.

Pauta ampliada
Segundo o movimento, foi formulada durante a noite a ‘carta de reivindicações’ dos estudantes. Inicialmente, os estudantes reclamaram de um atraso no pagamento de  auxílio-alimentação para alunos com isenção de taxa no Restaurante Universitário – fechado há um mês por causa da greve. O valor estava previsto para cair nas contas dos alunos na terça-feira (30).

A universidade informou  na manhã desta quarta (1) que o depósito do auxílio-alimentaçao para os alunos com isenção foi realizado ainda na terça-feira (30). Para os correntistas do Banco do Brasil, o valor caiu deveria cair ainda na quarta (1). Já os que tiverem conta em outros bancos devem receber até esta quinta-feira (2).

Pauta ampliada
Agora, os estudantes pedem aumento de R$ 7,50 para R$ 15 no auxílio-alimentação para os isentos. Também pedem garantia de atendimento de todos estudantes em um outro restaurante universitário, voltado ao Centro de Ciências Agrárias.

O movimento também ampliou a pauta, solicitando informações sobre a divulgação dos gastos da universidade,  a ampliação do número de bolsas estudantis, política de permanência para estudantes de alunos de ações afirmativas e realização de audiências publicas.

Questões estruturais também estão entre os pedidos, como a ampliação da Casa do Estudante Universitário e dos restaurantes universitários, com mais horários de atendimento e estruturas em cada campi.

Conforme a comunicação da universidade, a carta de reivindicações foi recebida e está em análise pela administração central da UFSC. Está previsto para a  tarde desta quinta (2) um encontro de representantes da administração com o movimento, informou a universidade.

Globo


VOLVER