“Retorno agora ao Ministério da Educação para cuidar da grande urgência nacional, o que a presidenta Dilma Rousseff definiu como a prioridade das prioridades”, afirmou o novo ministro, Aloizio Mercadante, durante a cerimônia de transmissão de cargo, realizada nesta quarta-feira, 7.

Mercadante destacou que a educação é o maior desafio estratégico da sociedade brasileira. “Aquele que garantirá a sustentabilidade dos imensos avanços sociais e a cada jovem brasileiro o passaporte para o futuro”, disse.

Para o ministro, o Brasil precisa acelerar a evolução para uma sociedade do conhecimento e para uma economia inovadora, com uma indústria competitiva. “As vicissitudes criadas pela crise e o inevitável ajuste fiscal devem nos inspirar para fazer mais e melhor. Estamos convocados a ter mais gestão, mais criatividade e mais eficiência”, comentou Mercadante.

Ele disse ainda que a implementação do Plano Nacional de Educação (PNE) será o foco desta gestão no ministério. O objetivo é coordenar as ações educacionais da creche à pós-graduação, percorrendo todo o itinerário formativo.

Em seu discurso, o ex-ministro Renato Janine Ribeiro defendeu uma educação igualitária ao alcance de todos, sem diferenças de acesso. “Igualdade de oportunidade: este é o tema que mais ouvi da presidenta nestes meses e que resume o que nas sociedades mais avançadas, mais desenvolvidas, foi o conquistado”, destacou. “Que o ponto de partida de todos seja equivalente. Que ninguém seja beneficiado pelo CEP de seu nascimento, que ninguém seja prejudicado, severamente prejudicado até, por ter nascido em uma família pobre ou sem acesso.”

Currículo – O ministro Aloizio Mercadante nasceu em Santos (SP), é graduado em economia pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em ciência econômica e doutor em teoria econômica pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É professor licenciado da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e da Unicamp. Na carreira política, foi eleito, no estado de São Paulo, duas vezes deputado federal e uma vez senador. Em 1994, concorreu ao cargo de vice-presidente da República na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2011, assumiu o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Foi ministro da Educação, entre 2012 e 2014, e ministro chefe da Casa Civil, de 2014 e 2015, até ser novamente nomeado ministro da Educação em 5 de outubro de 2015.

Assessoria de Comunicação Social

MEC

Volver